Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Delegada já tem suspeito da morte de ex-ministro do STF

Corpos do advogado José Guilherme Villela, da mulher dele e da empregada da família foram encontrados na 2ª

Vannildo Mendes, O Estado de S.Paulo

01 de setembro de 2009 | 15h43

A delegada Martha Vargas, da 1ª Delegacia de Polícia, informou na tarde desta terça-feira, 1º, que já tem um suspeito do assassinato do ex-ministro do STF, o advogado José Guilherme Villela, de 73 anos, da mulher dele, Maria Carvalho Mendes Villela, e da empregada da casa, Francisca Nascimento da Silva. A delegada não quis dar detalhes, mas disse que a prisão deverá ser feita ainda nesta segunda.

 

O corpo do advogado que defendeu o ex-presidente Fernando Collor durante o processo de impeachment, em 1992, foi encontrado na noite de segunda-feira, em seu apartamento em Brasília, na Asa Sul. Neste momento a delegada está acompanhando a conclusão do trabalho de perícia no apartamento onde ocorreu o triplo homicídio. A necropsia dos corpos já foi concluída pelo Instituto Médico Legal e os corpos devem ser liberados ainda nesta tarde para o sepultamento.

 

As primeiras suposições são de que o crime ocorreu no final da tarde da última sexta-feira. Os corpos foram encontrados somente depois que a neta chamou um chaveiro para destravar a porta do apartamento onde o casal morava. A polícia encontrou uma faca de 15 centímetros e com marcas de sangue, que pode ter sido a arma do crime.

 

Villela era um conceituado advogado em Brasília. Costumava atuar em tribunais superiores e no Supremo Tribunal Federal (STF). Era amigo de ministros e ex-ministros do STF. Nascido em Manhuaçu, Minas Gerais, Villela também foi ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.