Delegada manda inquérito sobre tráfico de rins para MPF

A delegada federal Karla Gomes concluiu o inquérito que apura o tráfico internacional de rins a partir de Pernambuco e o enviou para avaliação do Ministério Público Federal, que deverá oferecer denúncia contra os envolvidos no crime. Onze acusados de participação no esquema de venda de órgãos estão presos.Nesta terça-feira a delegada continuou ouvindo envolvidos no caso, cujos depoimentos serão anexados ao inquérito como autos suplementares. Depuseram Rogério Bezerra da Silva, seu irmão Ricardo e Orley José de Santana. Eles foram encontrados em Durban, na África do Sul, onde eram feitas as cirurgias de retirada de rins a preços entre US$ 6 mil e US$ 10 mil. Ambos retornaram há alguns dias ao Recife.Oficina - Rogério, de 32 anos, único dos três a se submeter à operação - os outros se preparavam para a cirurgia quando a polícia desmobilizou o esquema - teve o pagamento de US$ 6 mil confiscados pela polícia sul-africana. Ele lamentou, em entrevista à imprensa, antes de depor, na sede da Polícia Federal, ter tido que recorrer a esta medida extrema para realizar o sonho de montar uma oficina de automóveis. "É uma vergonha para o País da gente", afirmou. "Tentei três vezes um empréstimo de R$ 5 mil com esse objetivo, disseram que era fácil, mas o banco exigia conta bancária, carteira assinada". Ele não se arrepende do que fez, embora tenha ficado sem um rim e sem o dinheiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.