Delegada pede prisão preventiva de ginecologista em Ribeirão

A delegada do 1º DP de Ribeirão Preto, Maria Beatriz Moura Campos, indiciou hoje o ginecologista Vânderson Bullamah por homicídio doloso pela morte da estudante Helen de Moura Buratti, ocorrida no dia 5 de julho, um dia após uma lipoescultura. A delegada também pediu à Justiça a prisão preventiva de Bullamah, pois esse foi o terceiro caso em que uma paciente sua morreu após esse tipo de cirurgia. Ela considerou uma "temeridade" deixá-lo solto, pois a suspensão imposta ao ginecologista, de não exercer a profissão, é temporária e pode ser revertida a qualquer momento na Justiça. Até o início da noite não havia uma decisão judicial sobre o pedido de prisão preventiva. O inquérito será avaliado pelo promotor criminal Djalma Marinha Cunha Filho, que poderá acatá-lo e denunciar Bullamah, devolvê-lo para complemento (se entender que isso é necessário) ou até transformar o processo em homicídio culposo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.