Delegado depõe em MG sobre o caso Eliza Samudio

Chefe da Divisão de Crimes contra a Vida comandou as investigações policiais sobre o desaparecimento de Eliza Samudio, que começaram em junho deste ano

Marília Lopes, Central de Notícias

09 de dezembro de 2010 | 15h24

SÃO PAULO - Começou por volta das 13h40 desta quinta-feira, 9, o depoimento do delegado Wagner Pinto, chefe da Divisão de Crimes contra a Vida , sobre o processo que investiga o desaparecimento e a morte de Eliza Samudio. Segundo a assessoria do Fórum Lafayette, em Belo Horizonte, o goleiro Bruno Fernandes e outros seis réus assistem ao depoimento de Pinto. Ele é ouvido pela juíza Rosângela de Carvalho e será a última pessoa a prestar depoimento sobre o caso.

 

O chefe da Divisão de Crimes contra a Vida comandou as investigações policiais sobre o desaparecimento de Eliza Samudio, que começaram em junho deste ano. Eliza era ex-amante de Bruno e tentava provar na Justiça que o ex-capitão do Flamengo é pai do filho dela.

 

Em outubro, durante audiência no Fórum de Contagem, a juíza Marixa Fabiane Lopes dispensou os delegados Wagner Pinto, Alessandra Wilker, Ana Maria Santos e Wagner Pinto de prestarem depoimento.

 

Entenda o caso. O goleiro Bruno é réu no processo que investiga a morte de Eliza Samudio. A Justiça de Minas Gerais aceitou a denúncia do Ministério Público contra Bruno e outros oito envolvidos no desaparecimento e morte de Eliza. Fernanda Gomes de Castro, namorada de Bruno, foi presa em Minas Gerais.

 

O goleiro; Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão; Sérgio Rosa Sales; Dayanne Souza; Elenilson Vítor da Silva; Flávio Caetano; Wemerson Marques; e Fernanda Gomes de Castro respondem na Justiça por homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado, ocultação de cadáver e corrupção de menor. Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, é o único que responde por dois crimes. Bola foi denunciado por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Todos os acusados negam o crime.

 

A pedido do Ministério Público, a Justiça decretou a prisão preventiva de todos os acusados. Com essa medida, eles devem permanecer na cadeia até o fim do julgamento. Em 2009, Eliza teve um relacionamento com o goleiro Bruno, engravidou e afirmou que o pai de seu filho é o atleta. O bebê nasceu no início de 2010 e, agora, está com a mãe da jovem, em Mato Grosso do Sul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.