Delegado do Pará causa indignação em audiência no Senado

Benassuly diz que menor presa em cela com homens tem 'debilidade mental' porque não manifestou sua idade

Luciana Nunes Leal,

27 de novembro de 2007 | 11h37

O delegado geral do Pará, Raimundo Benassuly, causou indignação na platéia que assiste nesta terça-feira, 27, a audiência pública na Comissão de Direitos Humanos do Senado ao dizer que a jovem mantida presa na mesma cela com 20 detentos em Abaetetuba "tem certamente algum problema, uma debilidade mental, porque em nenhum momento manifestou sua menoridade penal". Benassuly é, na prática, o chefe da Polícia Civil do Pará.  L. diz que apanhou da polícia e foi ameaçada Tratada como adulta, jovem foi presa 8 vezes e pode ter sofrido abuso desde julho Governo libera verba para cela feminina no PA MP investiga eleição de conselhos  30% das brasileiras sofrem violência   O presidente da OAB, Cesar Brito, também presente à audiência, disse que a declaração de reflete "mostra a avaliação hipócrita de achar que se ela fosse maior de idade poderia estar naquela situação e ser violentada, como foi". A governadora do Pará, Ana Julia Carepa (PT), chegou de surpresa à audiência pública mas não ouviu a declaração do delegado geral. Ana Julia prometeu comentar a afirmação do delegado geral depois de se reunir com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto. Diante das perguntas insistentes, a governadora respondeu: "Isso não tem justificativa. Se alguém tentar justificar, é um absurdo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.