Delegado é acusado de intermediar mortes em Cuiabá

O delegado da Polícia Civil, Edgard Froes, foi preso nesta sexta-feira, em Cuiabá, acusado de intermediar quatro pistoleiros que mataram, na quinta, a advogada e empresária Marluce Maria Alves, de 50 anos, e seu filhos, Rodolfo Alves Lopes Filho, 21, em sua residência, no Jardim Shangri-lá, bairro nobre da cidade.O delegado João Bosco de Barros, titular da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), responsável pelo inquérito, confirma o envolvimento do seu colega no crime.O ex-marido de Marluce, o fazendeiro e empresário Ezequiel Lopes, foi detido como suspeito e levado para prestar depoimento. Ele negou ser o mandante das mortes do próprio filho e da ex-mulher. As suspeitas recaíram sobre o fazendeiro em virtude de Marluce ter ganho uma ação de pensão alimentícia um dia antes do crime.O empresário permanece na delegacia, segundo o delegado Bosco, para que sua integridade física fosse mantida. Da casa, conforme Bosco, foram levados um aparelho celular e R$ 15. Entretanto, não está configurado crime de latrocínio (roubo seguido de morte).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.