Delegado é baleado em tentativa de assalto em SP

O delegado de polícia AdolphoTiossi Bernardi Júnior, de 44 anos, foi baleado na cabeça, namadrugada de hoje, numa tentativa de assalto, na AvenidaIbirapuera esquina com a Rua Cotovia, em Moema, zona sul de SãoPaulo, em frente do Shopping Ibirapuera. Titular da 6.ª Seccional de Santo Amaro, Tiossi, como éconhecido na polícia, estava no seu último dia de trabalho. Emférias a partir de hoje, tinha viagem marcada para o Nordeste.No volante de sua caminhonete Mitsubishi, cabine dupla,prata, Tiossi, desarmado, esperava o semáforo abrir quando viutrês homens descendo de um Fiat vermelho, parado ao lado. Aoperceber que seria assaltado, o policial tentou sair com oveículo. Os ladrões deram vários tiros com pistolas de calibre 765. Três tiros acertaram a lataria da picape. Um outro passoupelo vidro da janela e atingiu a cabeça do delegado. Osassaltantes fugiram no Fiat, que tinha um outro ladrão novolante. Tiossi ainda teve forças para descer da picape e, com orosto coberto pelo sangue, sentou na calçada.Ponto Chic - Funcionários do restaurante Ponto Chic que ouviram ostiros e viram a fuga dos ladrões chamaram policiais civis quepassavam com um carro da Seccional Sul. Levado para o HospitalEvaldo Foz, Tiossi foi submetido a uma cirurgia que durou seishoras para a extração da bala alojada na parte frontal.No fim da tarde, os médicos informaram que a cirurgiafora bem-sucedida, mas o estado de saúde do policial eraconsiderado grave. Um estilhaço do osso atingiu o cérebro. Partedo corpo está paralisado. Ele corre o risco de perder a fala.Viagem - Tiossi trabalhou ontem até tarde. Acertou adocumentação e delegou tarefas a seus subordinados. Iria viajarhoje à noite e ficar 30 dias fora da Seccional. Pouco antes da meia-noite, o delegado pegou sua picape efoi para casa em Moema, onde mora com os pais. Ele é filho dodelegado aposentado Adolpho Tiossi que ocupou durante muitosanos cargos de chefia na Polícia Civil. Investigadores da Seccional Sul e do 27.º DistritoPolicial, do Campo Belo, estão empenhados em identificar eprender os ladrões. Três suspeitos foram detidos. Estavam com umFiat vermelho igual ao ocupado pelos autores do tiro no delegado mas negaram qualquer envolvimento na tentativa de assalto.O presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia doEstado, Paulo Roberto Siquetto, disse que a população e ospoliciais estão cada vez mais inseguros. Delegados einvestigadores deixam em casa suas armas e documentos da políciacom medo de serem identificados em caso de assalto. Os soldados,cabos, sargentos e tenentes da Polícia Militar saem de casa semas fardas.Para Siquetto, o policial precisa ser enérgico,intimidar o bandido e ser condecorado quando matar um ladrão, umtraficante ou um seqüestrador. "O secretário da Segurança temde falar em rede estadual e dizer que a polícia vai dar aobandido o mesmo tratamento que ele está dando à polícia e àpopulação. O que não pode é ficar protegendo criminosos epunindo policiais."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.