Delegado e mais 4 policiais civis são afastados por acusação de tortura no Rio

Chefe da Polícia Civil já indicou quem será titular da 10ª delegacia, em Botafogo; homem foi agredido no dia 24

Marcela Gonsalves, Central de Notícias

01 Abril 2011 | 18h51

SÃO PAULO - A chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro, delegada Martha Rocha, decidiu nesta sexta-feira, 1º, substituir o titular da 10ª Delegacia de Polícia (Botafogo) e afastar os cinco policiais da unidade acusados de tortura. O delegado Rodrigo Oliveira assumiu o cargo.

 

No início do dia, a delegada havia solicitado um relatório sobre o caso para Corregedoria Interna da Polícia Civil (Coinpol). Com base no documento, entendeu pela remoção dos policiais para a Seção de Pessoal em Situações Diversas, por conveniência disciplinar.

 

Embora não haja notícia da participação de autoridades policiais no evento, a decisão quanto à mudança da titularidade se deu pois Martha Rocha considerou que o fato apontava para falha de gestão por parte do delegado José Pires Lage, que será removido para a Delegacia Supervisora.

 

Os policiais são suspeitos de torturarem um funcionário de ferro-velho no último dia 24, na Região do Lagos. Na ocasião, a vítima era pressionada a identificar dois homens como fornecedores de peças de carros roubados para o ferro-velho em que trabalha. O rapaz denunciou o caso à Coinpol e afirmou que os policiais teriam ferido seus órgãos sexuais com um alicate.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.