Delegado e procuradores tentam impedir pagamento de indenização

Dez minutos depois de oito ex-moradores do Palace 2, que desabou em 1998, terem retirados suas indenizações na sede administrativa do Banco do Brasil, chegaram ao prédio o delegado da Polícia Federal Deuler Rocha e os procuradores da Fazenda, Paulo Cesar Negrão de Lacerda e Ronaldo Campos e Silva.Eles vieram com o objetivo de impedir o pagamento, em cumprimento à decisão da Justiça Federal, que determinou que o dinheiro proveniente do leilão de um hotel de Sérgio Naya - dono da construtora Sersan que construiu o Palace 2 ? seja usado na quitação de impostos devidos por ele, e não para a indenização das vítimas.Os três foram pegos de surpresa pela notícia de que o dinheiro já havia sido entregue. Agora eles pretendem evitar que os demais ex-moradores, que receberiam os valores através de transferências bancárias, sejam ressarcidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.