Delegado é substituído por vazar lista do PCC em São Paulo

O delegado Seccional de Presidente Prudente, Marcos Mourão, foi colocado em licença e substituído do cargo depois que divulgou informações sobre a apreensão da lista com nomes de 20 agentes penitenciários jurados de morte pelo Primeiro Comando da Capital (PCC). Os agentes trabalham no Regime Disciplina Diferenciado (RDD) de Presidente Bernardes, onde Marcos Williams Herbas Camacho, o Marcola, apontado como líder da facção, cumpre pena. A lista com nomes, endereços e telefones dos agentes estava com Douglas Leonardo Ferreira, de 25 anos, preso na quarta-feira, 7, quando ia entregar a lista a dois integrantes do PCC. A prisão ocorreu depois de extenso trabalho de investigação do serviço de inteligência da Polícia Militar e da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP). Mas a divulgação da apreensão da lista prejudicou as investigações, que poderiam levar a um arsenal de armas - sobretudo fuzis - e ao verdadeiro mandante dos ataques contra os agentes, cujo principal suspeito é o próprio Marcola. Nesta terça-feira, o delegado Regional de Polícia de Presidente Prudente (Deinter-8), Dirceu Jesus Urdiales, disse que a troca de delegado seccional é uma medida administrativa e que dependeu de uma "somatória de fatos", entre elas, o comportamento do delegado diante do caso. "Mas não foi só isso, já estava na hora de trocar de delegado seccional", disse. Segundo o delegado, Mourão está de licença por 30 dias. Em seu lugar assumiu o delegado Reinaldo Antônio Borro.

Agencia Estado,

13 Fevereiro 2007 | 17h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.