Delegado exonerado volta a chefiar Polícia Civil do Pará

Raimundo Benassuly deixou o cargo após o episódio da menina L., de 15 anos, que dividiu a cela com 20 homens

13 de janeiro de 2009 | 02h42

O delegado Raimundo Benassuly teve o nome anunciado nesta segunda-feira, 12, para reocupar o cargo de delegado-geral da Polícia Civil do Pará. O anúncio foi feito pelo secretário de Segurança Pública, Geraldo Araújo, que era chefe da Polícia Federal no Pará e assumiu a pasta da Segurança Pública em janeiro de 2008. Na ocasião, a secretária Vera Tavares entregou o cargo por ficar desgastada com o episódio da menina L., de 15 anos. A adolescente ficou por 24 dias presa na mesma cela da delegacia de Abaetetuba com 20 homens. Na avaliação de seu primeiro ano de governo, no final de 2007, quando Vera deixou a pasta da Segurança para que Araújo assumisse, a governadora Ana Júlia Carepa havia dito que a Segurança Pública tinha sido a área com pior desempenho. Um ano depois, Benassuly volta ao cargo de delegado-geral da Polícia Civil do Pará. Em dezembro de 2007, Raimundo, a exemplo de Vera, pediu para ser exonerado após declarar em audiência pública na Comissão de Direitos Humanos do Senado, que L. deveria sofrer alguma debilidade mental por não ter dito que era menor de idade, durante a detenção. "Não sou médico legista nem tenho formação na área. Mas essa moça tem certamente algum problema, alguma debilidade mental. Ela em nenhum momento declarou sua menoridade penal', disse o delegado na época.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.