Delegado mata suspeito de depredar delegacia no Pará

De acordo com a polícia, Lopes alegou que agiu em legítima defesa; homem teria dito que iria matá-lo

Elvis Pereira, do estadao.com.br,

07 Outubro 2008 | 20h44

O titular da delegacia de Santo Antônio do Tauá, no Pará, matou a tiros um dos suspeitos de participar da depredação da unidade. No início da tarde desta terça-feira, 7, o delegado Ronaldo Lopes estava em frente ao DP, no centro da cidade, quando um homem teria avançado em sua direção dizendo que iria matá-lo. Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, Lopes sacou sua pistola 40mm e disparou, acertando um tiro na cabeça do suspeito. O homem ainda foi levado ao hospital da cidade, mas chegou sem vida ao local.   Veja também:  Moradores depredam delegacia para linchar estuprador no PA   De acordo com a polícia, Lopes alegou que agiu em legítima defesa. O delegado foi encaminhado à corregedoria da corporação, em Belém. O corpo da vítima, cuja identificação não havia sido feita até o início da noite, foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Castanhal. Pouco antes do disparo, o suspeito havia sido agarrado por um policial que o reconhecera como um dos acusados de depredar a delegacia pela manhã. Sem algemas, ele se soltou e partiu em direção ao delegado.   Ao todo, 20 pessoas acabaram detidas sob suspeita de atacar a delegacia. Eles estariam entre os mais de 100 moradores que quebraram as grades, vidraças e portas da unidade, além de uma viatura. Em meio à confusão, três presos fugiram. O objetivo dos moradores era chegar a Luís Inácio da Silva, de 47 anos, suspeito de matar e estuprar, no domingo, 5, uma menina de oito anos. Luís foi detido na noite de segunda, 6, em uma área de matagal do município com uma criança de 11 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.