Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Delegado nega envolvimento com empresário que confessou assassinato de jogador

Rubens Recalcatti aparece em postagens junto a Edison Brittes, que confessou a autoria da morte do jogador Daniel Corrêa. Policial nega contato com o criminoso

Julio Cesar Lima, Especial para o Estado

19 Novembro 2018 | 23h06

CURITIBA – O deputado estadual e delegado Rubens Recalcatti negou nesta segunda-feira, 19, em Curitiba, ter algum tipo de relacionamento com o empresário Edison Brittes, conhecido como Juninho Riqueza, preso pelo assassinato do ex-jogador do São Paulo, Daniel Corrêa de Freitas, no dia 27 de outubro.

Recalcatti aparece em várias postagens em redes sociais ao lado de Brittes e em uma delas chega a tratar Cristiana, a mulher do empresário (também presa pelo assassinato), como uma “amiga do peito”.  “Se eu estou em um aniversário, de qualquer um de vocês, claro que vou dizer que são amigos do coração, é uma festa de confraternização”, disse, durante entrevista coletiva à imprensa.

Sobre Brittes, o delegado destacou que era uma relação ligada à política. “Coisa de política. Uma relação informal e superficial. Ele comparecia eventualmente em alguns eventos meus”, afirmou.

Questionado sobre uma suposta ajuda a Brittes quando o empresário teve problemas com a polícia, o delegado disse que a suposta ligação telefônica não aconteceu. “A citação de meu nome ocorre em função de um boletim de ocorrência de junho deste ano que registra a prisão do suspeito (Brittes) por posse de arma de fogo por policiais de trânsito. De acordo com o BO, o suspeito disse que tentaria falar comigo por ser deputado e delegado de polícia”, disse.

Já o Ministério Público do Paraná (MP-PR) quer realizar uma investigação paralela para saber o envolvimento ou participação do empresário em alguma quadrilha ligada ao crime.

Jogador foi torturado e morto

Daniel, de 24 anos, foi encontrado morto em uma estrada rural na Colônia Mergulhão, em São José dos Pinhais, com o pênis decepado e quase decapitado, após participar da festa de aniversário de 18 anos de Allana Brittes, na casa noturna Shed, em 27 de outubro, em Curitiba.

Estão presos pelo caso o empresário Edison Brittes, sua mulher Cristiana e sua filha Allana. Além deles, também estão detidos Eduardo Putorke, de 18 anos, Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, de 19, David Willian Villero Silva, de 18 e Ygor King, de 20.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.