Delegado queimado em rebelião continua em estado gravíssimo

A situação clínica do delegado e diretor da Cadeia de Jaboticabal, na região de Ribeirão Preto, Adelson Taroco, de 39 anos, que teve cerca de 80% de seu corpo queimado por detentos na rebelião de domingo, ainda é gravíssima. Ele continua internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI), da Unidade de Emergência (UE) do Hospital das Clínicas (HC), respirando por meio de aparelhos e inconsciente, além de fazer hemodiálise. Colegas de trabalho e familiares estão abalados, mas acreditam na recuperação de Taroco.O delegado Taroco nasceu em Ariranha, mas há cerca de 15 anos trabalha em Jaboticabal. Ele passou pelo 3º DP e pela Ciretran, antes de ser titular do 1º DP e diretor da cadeia. Mora na cidade com a mulher e dois filhos. No domingo, dia do incidente, a família do delegado estava na residência de outra pessoa, como medida de segurança. Foi lá que receberam a notícia de que Taroco havia sido queimado.Na delegacia, os nove funcionários também estão abalados. Tido como rigoroso, Taroco é tratado como "excepcional" pelos colegas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.