DEM 'apanha' do PSDB e se cala, critica prefeita

A prefeita de Ribeirão Preto, Dárcy Vera (PSD), comparou o DEM, seu partido até o último dia 6, a uma mulher vítima de violência doméstica que não teve coragem de se rebelar contra o marido. O marido, no caso, seria o PSDB. "O PSDB é o marido e acho que o Democratas precisa reagir a essa violência", disse.

O Estado de S.Paulo

16 Outubro 2011 | 03h05

As críticas foram parar no blog da prefeita, em um texto no qual ela se defende dos ataques dos deputados federais Jorge Tadeu Mudalen (DEM-SP) e ACM Neto (DEM-BA) sobre a sua saída do Democratas. No blog, escancara as referências ao PSDB e ao governador Geraldo Alckmin, que é nominalmente citado.

"Usaram o DEM para disputar governos e até Presidência e depois o trataram com desdém, insignificância e desprezo", disse a prefeita, numa clara referência ao PSDB. "Oferecem migalhas de espaços na governança e agem como se estivessem fazendo favor à sigla. Comigo isso acontecia com frequência."

Dárcy cita a recente crise com o PSDB, Alckmin e aliados dele em Ribeirão Preto, gota d'água para que ela deixasse o DEM e seguisse o mesmo caminho do padrinho político e prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD). Para a prefeita, o governo cortou recursos de Ribeirão no período em que começa a corrida rumo a 2012. "Quem sabe agora, no PSD, o governo Alckmin me trate melhor." / GUSTAVO PORTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.