DEM elege ACM Neto líder e deixa saída de Kassab mais próxima

Deputado baiano vence disputa contra Eduardo Sciarra com folga, mas prega permanência de prefeito na legenda

Eugênia Lopes, O Estado de S.Paulo

01 de fevereiro de 2011 | 00h00

O deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (BA) foi eleito no início da noite de ontem líder da bancada do DEM na Câmara. Ele teve 27 votos, contra 16 de seu oponente, o deputado Eduardo Sciarra (PR). A vitória folgada de ACM Neto fortalece o grupo do atual presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), e deverá acelerar a saída do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, do partido para o PMDB.

"Estou feliz porque tive uma vitória expressiva. A bancada sai daqui unida. Vou trabalhar para fortalecer o partido. Meu trabalho vai ser para juntar os cacos. Não vou fomentar brigas", disse ACM Neto. Ele prometeu procurar o prefeito Kassab e os dois governadores do partido - Rosalba Ciarlini, do Rio Grande do Norte, e Raimundo Colombo, de Santa Catarina. "Acho fundamental que o Kassab continue no partido", afirmou.

A conquista da liderança pelo baiano representa uma derrota para o grupo do ex-senador e presidente de honra do DEM, Jorge Bornhausen (SC), a quem Kassab é ligado. "A votação em ACM Neto é um não à fusão, um não à extinção do partido", resumiu o deputado Pauderney Avelino (AM). Uma das propostas da ala de Bornhausen era a fusão com o PSDB.

Futuro. A eleição de ACM Neto fortalece ainda o apoio do partido à candidatura de Aécio Neves (PSDB) para a presidência da República, em 2014. O grupo de Bornhausen prefere que o ex-governador José Serra entre novamente na corrida presidencial.

A vitória de ACM Neto também sinaliza a eleição do senador José Agripino Maia (RN) para comandar o DEM. A convenção do partido está marcada para 15 de março. O candidato de Bornhausen para a presidência da legenda é o ex-senador Marco Maciel (PE).

O clima na bancada ontem do DEM foi tenso. Os candidatos não fizeram discurso. Mal saiu o resultado da eleição, Rodrigo Maia ficou emocionado e chorou. Já Bornhausen, que até ontem liderava o partido, ficou visivelmente chateado. Integrantes do grupo de Bornhausen e Kassab admitiram ter ficado surpresos com a diferença grande de votos a favor do baiano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.