Denarc apreende 100 kg de droga destinada ao Comando Vermelho

Cem quilos de cocaína pura que abasteceria traficantes varejistas do Comando Vermelho (CV), na baixada fluminense, foram apreendidos na segunda por policiais do Departamento Estadual de Investigações sobre Narcóticos (Denarc), no quilômetro 16,5 da Via Anchieta, em Santo André (Grande ABC). Os três lotes da droga, proveniente de diferentes países produtores, estão avaliados em R$ 1,4 milhão ou US$ 7 mil o quilo. Três traficantes apontados como tentáculos de uma rede internacional de narcotráfico foram presos.Policiais que fizeram a apreensão se surpreenderam com a engenhosidade do crime organizado. Para escapar da repressão policial, os traficantes esconderam a droga dentro do tanque de combustível de dois veículos: um Versailles e um Santana, ambos do Amazonas (Manaus). Dentro do tanque com capacidade para 50 litros de combustível, os criminosos construíram um compartimento que destinava apenas 10% do espaço para a gasolina.O delegado Cosmo Stikovics, chefe da Divisão de Investigação sobre Entorpecentes (Dise), disse que a droga proveniente da Colômbia, Bolívia e Peru, entrou no País pelo Suriname. Os veículos recheados de pó cruzaram seis Estados brasileiros dentro de um caminhão cegonha até chegar a Santo André.De lá, como não tinham capacidade para viagem longa, suspeita-se que os veículos rodariam pouco até ser entregues ao destinatário final. "Nós acreditamos que os carros seriam entregues juntos com a droga. São carros velhos, de pequeno valor, que foram adulterados só para esse fim", disse Stikovics.No Suriname, a cocaína foi entregue ao motorista Francisco Pereira dos Santos, de 46 anos, morador em Cambará, Boa Vista, capital de Roraima. Daquela cidade, Santos e o camelô Francisco Lúcio Batalha, de 39 anos, foram para Manaus (AM). Lá, eles se encontraram com o comerciante manauara Pedro Gonçalves da Silva, de 57 anos, apontado pelo Denarc, como o líder do esquema.Foi ele quem contratou o transporte dos carros até São Paulo. Quando os carros já estavam a caminho do Rio de Janeiro, na Via Anchieta, foram interceptados pelos policiais do Denarc, que levantaram durante a investigação de um mês os carros que seriam usados.Os veículos foram levados para uma oficina do Denarc, onde os tanques foram abertos e se confirmou a presença da droga. Os criminosos foram autuados em flagrante por tráfico internacional de drogas. Se forem condenados pelo crime, eles podem pegar até 15 anos de prisão.Segundo Stikovics, o trio é apenas um tentáculo de uma organização que despeja cerca de 500 quilos de cocaína por mês nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro. O delegado disse que as investigações vão continuar, até mesmo para confirmar ou descartar o envolvimento de pessoas ligadas à transportadora de veículos. Os dois carros também foram apreendidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.