Denise Abreu renuncia à diretoria da Anac

A diretora da Agência Nacional deAviação Civil (Anac) Denise Abreu entregou na tarde destasexta-feira sua carta de renúncia ao ministro da Defesa, NelsonJobim, informou a assessoria pessoal da diretora. Na carta, Denise Abreu disse se tratar de uma decisão "emcaráter irretratável, por motivos pessoais". No texto, elaafirma ainda que explicará as razões da renúncia ao presidenteLuiz Inácio Lula da Silva.As pressões sobre Denise Abreu aumentaram desde de que elaafirmou, em depoimento à CPI da Crise Aérea no Senado, que umdocumento entregue por ela à Justiça não era oficial. Essedocumento, junto com outros da agência, teriam sido usados comobase para uma decisão judicial que liberou a utilização dapista principal do Aeroporto de Congonhas. O documento proibiria o pouso de aeronaves com os reversostravados na pista de Congonhas em dias de chuva. Depois dadecisão da Justiça que liberou a pista, um Airbus da TAM nãoconseguiu pousar no aeroporto paulistano e se chocou comprédios matando 199 pessoas, no pior desastre aéreo da aviaçãobrasileira. Antes da notícia da renúncia, o Ministério Público Federalde São Paulo entrara com ação cautelar com pedido de liminarpara que a diretora fosse afastada do cargo pelo prazo de 60dias, devido à investigação em torno desse documento. Há dois dias, Jobim anunciou a abertura de um processoadministrativo para investigar as circunstâncias da entrega dodocumento à Justiça. Dependendo do resultado das apurações, oprocesso pode levar o ministro a pedir ao presidente LuizInácio Lula da Silva o afastamento de integrantes da Anac. Em várias ocasiões, Denise Abreu dissera que nãorenunciaria ao cargo. (Reportagem adicional de Isabel Versiani, em Brasília)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.