Denunciados 40 detentos por morte de delegado em Jaboticabal (SP)

O Ministério Público Estadual denunciou, na segunda-feira, por homicídio, 40 detentos do presídio de Jaboticabal, no interior paulista, pela morte, na última sexta-feira, do delegado Adelson Taroco, que teve 80% do corpo queimado durante rebelião ocorrida em 14 de maio. A denúncia foi oferecida pela promotora de Justiça daquele município, Etel Cipele. Durante o tumulto, o delegado se apresentou para negociar com os presos, mas eles o enrolaram num colchão, no interior de um cela do presídio, e atearam fogo. Os mesmos detentos já foram denunciados na Justiça por tentativa de homicídio, motim, incêndio e danos ao patrimônio público. Mas, com a morte do delegado, a situação se agravou e às suas penas será acrescentada a nova condenação, que pode variar de 12 a 30 anos.

Agencia Estado,

06 de junho de 2006 | 00h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.