Depoimento de Jobim à CPI deverá ser adiado

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, vai adiar sua ida à CPI do Apagão Aéreo, na Câmara dos Deputados, que estava marcada para amanhã. Jobim acompanha amanhã o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em viagem a São José dos Campos, onde visita a sede da Embraer. Durante a visita, a Embraer assinará um contrato com a BRA, para a venda de 20 jatos, em um negócio de US$ 1,46 bilhão.A mudança na agenda do ministro deverá adiar para a próxima semana uma reunião em que Jobim discutiria com a Anac a implantação das regras definidas pelo Conselho Nacional de Aviação Civil (Conac) para o setor aéreo. Esperava-se para amanhã um encontro entre o ministro, a Infraero, a Anac e as empresas aéreas para definir a nova malha da aviação no País. As discussões estão ainda em fase preliminar. Representantes das companhias de aviação se reunirão, amanhã, com técnicos da Anac para analisar as proposta de redistribuição dos vôos partindo do Aeroporto Internacional de Cumbica. As mudanças são necessária desde que foram proibidas conexões e escalas no Aeroporto de Congonhas. O presidente em exercício da CPI do Apagão Aéreo da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse que vai reorganizar a agenda da Comissão para ouvir Jobim na quinta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.