Depoimento de pais de bebê esquecido no carro é adiado

Foi adiado por tempo indeterminado o depoimento dos pais do bebê André Machado legal, marcado para esta segunda-feira. A criança, de um ano e três meses de idade, morreu após ter permanecido dentro do carro da família por cinco horas, esquecida pelo pai, na última quinta-feira, 13. Os pais do bebê, Carlos Alberto Legal Filho e Ana Cláudia, assim como o tio Carlos Eduardo Legal alegaram problemas de saúde.O advogado da família se comprometeu a levar pessoalmente o atestado médico dos clientes para a polícia. O delegado titular da delegacia do bairro Água Fria, João Alves de Araújo, informou que o inquérito deve ser encerrado dentro de 30 dias.Araújo confirmou que o pai do bebê será indicado por homicídio culposo, sem intenção de matar. Mas o réu pode ser beneficiado pelo perdão judicial, caso a justiça considere que ele já tenha sido penalizado pela conseqüência de seu ato.André passou mais de cinco horas dentro do carro e morreu devido a queimaduras de sol. O pai, que havia invertido a rotina daquela dia, deixando primeiro a mulher no metrô, o que fazia após deixar a filha de 9 anos na escola e o filho no berçário, foi direto para o trabalho e não percebeu que a criança ainda estava no carro. Às 11h30, daquele dia, o administrador começou a passar mal. Não sabia o que era. Às 13h30, decidiu procurar um hospital. Quando abriu o carro, encontrou o filho. Tentou socorrer o bebê, mas ele já estava morto, com queimaduras causadas pelo sol.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.