Depoimento do garçom é contraditório

O depoimento do ex-garçom Carlos Eduardo Costa Marto está sendo considerado contraditório pela polícia. Segundo o delegado seccional de Taboão da Serra, Romeu Tuma Júnior, está praticamente comprovado que ele teve algum tipo de participação no resgate de dois presos com helicóptero de um presídio em Guarulhos, na Grande São Paulo.Até o momento, a polícia apurou que Marto é ligado à Ailton Alves Feitosa, um dos presos fugitivos, e Cleison Gomes de Souza, um dos autores do seqüestro do helicóptero, e que estão presos. A descoberta de um cativeiro que pertenceria à quadrilha em Embu, na Grande São Paulo, também levantou a suspeita de envolvimento do grupo com o seqüestro do prefeito de Santo André, Celso Daniel.Entre as evidências encontradas pela polícia no cativeiro e que podem comprovar a participação do ex-garçom na fuga estão um caderno de Marto com anotações sobre preços de aluguel de helicópteros. "Ele nega muitas coisas sem saber que temos provas de suas ações", disse Tuma, hoje de manhã. O depoimento do ex-garçom, preso ontem, durou cerca de 12 horas e foi interrompido por volta das 6 horas. A previsão é que o interrogatório recomeçasse no período da tarde, na seccional de Taboão da Serra.Tuma Júnior dividiu o depoimento em três partes: o resgate dos presos de Guarulhos, a ligação entre o ex-garçom e o cativeiro encontrado pela polícia em Embu e a possível ligação de Marto com o seqüestro e assassinato do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel. Cauteloso, Tuma evita fazer conexões antecipadas entre a quadrilha e o seqüestro de Daniel. "Não podemos descartar esta hipótese, mas tudo ainda tem de ser investigado", disse o delegado.Na primeira fase do depoimento, ele tinha feito apenas algumas perguntas sobre o assunto ao ex-garçom. A suspeita sobre o ex-garçom recai no fato de ele ter trabalhado no restaurante Rubayat, onde o prefeito jantou no dia em que foi seqüestrado. No cativeiro encontrado no Embu, que Tuma suspeita que possa ter abrigado Daniel ou a quadrilha, foi encontrado um Santana azul - modelo de um dos veículos que abordaram o prefeito e o empresário Sérgio Gomes da Silva - e um folheto do restaurante Rubayat. "Precisamos desvendar tudo isso", disse Tuma Júnior, sobre as possíveis conexões entre os dois casos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.