Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Depois da blitz, Galeria Pajé reabre normalmente

A Galeria Pagé, no centro, voltou afuncionar hoje, às 10 horas, em ritmo de vendas de Natal.Com seus corredores intransitáveis e lojas lotadas deconsumidores, a galeria nem de longe parecia ter sido alvo deuma megaoperação da polícia que fechou quase 130 pontos-de-vendae apreendeu 15 mil sacos de mercadorias ilegais ontem. Com exceção de algumas lojas, que trabalhavam com portassemi-abertas e repletas de seguranças, a maioria doscomerciantes da galeria voltou à rotina, como se nada tivesseacontecido. "Está tudo certo agora, podemos funcionarnormalmente", disse o vendedor de eletroeletrônicos AndréMendes. Alguns consumidores ficaram surpresos ao ver as lojasfuncionando normalmente. "Vimos na TV que tinham fechado tudo,passei aqui só para ver como estava a galeria fechada e dei decara com tudo normal", afirmou a dona de casa Mariana Gonçalves.Outros ficaram frustrados. "Pensei que a galeria estivessefechada e acabei comprando coisas em outros lugares. Só agora vique está aberta", reclamou o estudante Alex Vitiello. Quem acabou aproveitando a abertura da Pagé foram oscamelôs que ficam nas proximidades. "Com a galeria fechada omovimento da rua cai. Muita gente nem passa por aqui", explicoua vendedora de bonecos infláveis Jorgina do Espírito Santo. A Polícia Militar acredita que o movimento na região daRua 25 de Março esteja 10% maior este ano em relação ao anopassado. Segundo cálculos da PM, cerca de de 1 milhão pessoaspassam pela região por dia durante o mês de dezembro. Aossábados, porém, esse movimento pula para 1,5 milhão de pessoas.

Agencia Estado,

06 de dezembro de 2003 | 15h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.