Depois da Força, servidores e professores protestam em SP

Professores da rede de ensino de São Pauloprotestam, neste momento, nas calçadas da Rua Libero Badaró, região central da cidade, por melhores salários. O protesto teve início por volta das 14h30 desta segunda-feira.Na Avenida Paulista, são os servidores federais que protestam. Eles estão concentrados em frente ao prédio do Banco Central, na altura da Alameda Ministro Rocha Azevedo, desde às 13h. No sentido Consolação, a avenida tem tráfego lento desde a Praça O swaldo Cruz até a Rua Haddock Lobo.A manifestação da Força Sindical, que aconteceu hoje, em Higienópolis, acabou às 13h e as ruas já estão liberadas nesta região. O maior ponto de lentidão na cidade está na pista expressa da Marginal Tietê no sentido Rodovia Ayrton Senna entre a PonteJúlio de Mesquita Neto e o Rio Tamanduateí.A pista expressa da Marginal Pinheiros, sentido Interlagos tem tráfego lento desde a Ponte da Cidade Jardim até a Ponte Ary Torres. Um atropelamento que aconteceu às 15h20 desta tarde no acesso à Ponte Ary Torres, ocupa a faixa da direita da via e causa lentidão por aproximação. No corredor norte-sul, que compreende as avenidas 23 de Maio, Rubem Berta e Moreira Guimarães, a lentidão se estende, nosentido Aeroporto, desde a Praça Santa Generosa até a Rua Curitiba.De acordo com últimos registros da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), as principais vias da cidade têm 19 kms decongestionamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.