Depois da saída, bolo com Lula

Zuanazzi cumprirá a quarentena obrigatória para autoridades que ocupam cargos de confiança. Durante quatro meses, não poderá ser contratado ou prestar serviços para a iniciativa privada e continuará a receber o salário de quase R$ 11 mil mensais. Depois da longa entrevista concedida ontem, Zuanazzi ressaltou que "só Deus não erra" e agradeceu a solidariedade dos funcionários. Saiu da sede da Anac dirigindo o próprio carro, um Celta vermelho, estacionado na vaga para "visitante acima de 65 anos". No vidro traseiro, ainda carregava um adesivo com a mensagem da campanha pela reeleição: "Lula de novo com a força do povo". A renúncia foi apresentada em encontro com o presidente, quando o ex-diretor disse que voltará a morar em Porto Alegre, onde vive sua família, e pensa em retomar a atividade de professor. Ao final da audiência, Zuanazzi foi convidado a participar do parabéns, com bolo, cantado para Lula, que completou 62 anos no sábado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.