Depois da trilha, sossego e lugarejos paradisíacos

Longe do burburinho dos points mais conhecidos, o litoral norte ainda esconde baías, cachoeiras e locais de mergulho quase intocados

Alexandre Petillo, O Estadao de S.Paulo

27 de dezembro de 2008 | 00h00

Quase 200 praias, além de ilhas, cachoeiras, baías, rios, pontos de mergulho. O litoral norte também tem belos roteiros para quem quer desfrutar da natureza e relaxar. Em alguns, será preciso caminhar um pouco, enfrentar trilhas e suar a camiseta. Mas o esforço vale a pena.Em Bertioga, uma boa opção é a Praia de Guaratuba. O pôr-do-sol ali é uma obra de arte, com a serra ao fundo. Na maré baixa, o canto da praia vira deliciosa piscina natural. Dá para esquecer qualquer problema.Seguindo pela Rio-Santos, na entrada de Toque Toque Grande, em São Sebastião, você dá de cara com cachoeira de mesmo nome. Com grande e bela queda-d?água, é boa opção para quem não está a fim de enfrentar longas trilhas. Perto dali, a Praia Preta tem apenas 150 metros, mas uma das mais belas vistas da costa sul. O nome vem das areias escuras, que contrastam com o mar quase sempre calminho. Boa também para mergulhar.Em Ilhabela, a Cachoeira da Laje tem acesso difícil, mas recompensador. A paisagem é cinematográfica, com tobogãs e piscinas naturais. A queda-d?água tem 60 metros. Para quem tem preguiça de enfrentar uma hora de caminhada, dá para chegar de balsa.SURPRESASSeguindo para Ubatuba, mais surpresas. Quase na divisa com Caraguatatuba, a Praia do Simão ou Brava do Frade é cheia de histórias, belas paisagens e longas trilhas na mata. A praia fica em meio a terras quilombolas. Vale a pena contratar um guia para descobrir casos interessantes. A praia fica bem na frente de Ilhabela. Parece, aliás, que a ilha está próxima e dá para chegar a nado. Ilusão de ótica. A praia fica a seis horas de distância de escuna. E o nome "brava" não é à toa. Em alguns dias as ondas são bem fortes - o que não é bom para natação, mas excelente para o surfe. Pela mesma trilha, é possível acessar a Praia da Lagoa. No caminho, há ruínas do tempo do Império, quando o local era usado para tráfico de escravos.Já em território carioca, entre Ubatuba e Paraty, está a Praia do Sono. Praticamente intocada, tem pequena vila de pescadores, com poucas pousadas e restaurantes. O nome não poderia ser mais apropriado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.