Depois de dengue, malária é confirmada em Cananéia

A Diretoria Regional de Saúde de Registro confirmou nesta quarta-feira a ocorrência de um caso de malária em Cananéia, no litoral sul do Estado. O paciente, o oficial de justiça Rolando Salem, contaminou-se na zona rural do município, o que caracteriza o caso como autóctone.Ele não tinha viajado, recentemente, para outras regiões. O diagnóstico positivo foi emitido na terça-feira pelo Hospital Emílio Ribas, de São Paulo, onde o paciente recebeu atendimento. Salem sentiu-se mal na semana passada. Ele apresentava calafrios e ataques de febre alta, osprincipais sintomas da doença. A família pensou que se tratava de dengue, mas os exames confirmaram a malária. A Vigilância Sanitária iniciou a busca de possíveis novos casos. Moradores vizinhos do doente estão sendo visitados e, em caso de suspeita - pessoas que tiveram febre nas últimas semanas -, é feita a coleta de sangue para exames. Os postos de saúde da região estão sendo alertados para a observação dos sintomas. É a primeira ocorrência de malária em Cananéia nos últimos dez anos. Segundo a diretora regionalde Saúde, Denise Maria dos Santos Pinto, no ano passado foram registrados dois casos em toda a região, que compreende o Vale do Ribeira e o litoral sul, um em Cajati, outro em Eldorado.A doença é transmitida pelo mosquito Anopheles. O inseto vive em regiões de matas. "Toda essa região é coberta pela mata atlântica, o que dificulta o controle do mosquito", disse a diretora. A Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) iniciou uma varredura para localizar focos do mosquito anofelino no município. Segundo a chefe regional, Maria de Fátima Domingos, os mosquitos serão coletados para exames. O objetivo é verificar se são portadores de protozoários do gênero plasmodium, que causam a malária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.