Depois de perder patrocínio, floreiras são retiradas da Avenida Paulista

Dos vasos de flores que costumavam enfeitar o canteiro central da Avenida Paulista, sobraram só os suportes de ferro. Na quinta-feira, um caminhão da Subprefeitura da Sé recolheu todos os vasos . ''''Levaram as plantas de vergonha. A Subprefeitura não cuida. Estavam secas'''', diz Marli Lemos, diretora da Associação Paulista Viva. A discussão veio à tona quando a Secretaria Municipal de Coordenação das Subprefeituras anunciou o programa de adoção casada de praças: a empresa que faz manutenção de área verde numa região nobre tem de cuidar de outra na periferia. As floreiras foram colocadas em 2004 pela associação em homenagem aos 450 anos de São Paulo. Na época, a Prefeitura gostou da idéia e aprovou que tivessem patrocínio. Com a Lei Cidade Limpa, as floreiras perderam a propaganda. Procurado, o prefeito Gilberto Kassab não quis se manifestar.

Valéria França, O Estadao de S.Paulo

07 Setembro 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.