Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Depois do réveillon sem praia em Copacabana, pessoas desprezam riscos e ocupam areias no Rio

Bloqueio de orla e cancelamento da queima de fogos havia afastado o público na hora da virada de ano

Vinicius Neder, O Estado de S.Paulo

01 de janeiro de 2021 | 19h23

RIO - No primeiro dia do ano, cariocas e turistas ignoraram a pandemia de covid-19 e o perigo das aglomerações, segundo médicos ideais para contaminação pelo novo coronavírus, e aproveitaram o feriado nas praias do Rio. As areias não chegaram a lotar, já que o tempo instável alternou momentos de sol entre nuvens com chuva fraca. O calor, porém, tampouco afastou os banhistas dos cartões postais da cidade, como a Praia de Ipanema, nesta sexta-feira, 1º. 

O trecho próximo ao Posto 8, mais próximo do Arpoador, ficou mais cheio. No trecho do Leblon – as praias de Ipanema e Leblon dividem uma orla de cerca de quatro quilômetros – havia menos banhistas. Assim, conseguiam manter distanciamento maior uns dos outros. Também em Copacabana os banhistas ignoraram os riscos e aproveitaram o mormaço e o mar.

O cenário contrastou com panorama de algumas horas antes em Copacabana. Na noite de réveillon, o cancelamento dos shows de fogos, a falta de espetáculos musicais, o bloqueio do bairro e a suspensão do Metrô a partir das 20h, associados à chuvinha fina caindo a intervalos irregulares, garantiu praia praticamente vazia. Os quiosques tinham poucos clientes; alguns nem funcionaram.

Perto da meia-noite, poucos moradores e turistas foram para a areia e a beira-mar para ver a chegada de 2021. Mas nada foi parecido com os dois milhões de pessoas que tradicionalmente passam o réveillon em Copacabana.

Nesta sexta, 1, o balanço da Comlurb, estatal municipal de limpeza urbana, deu sinais da redução de público em relação a anos anteriores. O balanço apontou que os garis recolheram 39 toneladas de lixo em Copacabana. Foi uma redução de 89% em relação a 1 de janeiro de 2020, quando foram retiradas da praia 351 toneladas. Ao todo, a empresa removeu 194 toneladas de resíduos na cidade – menos 75% que as 762 toneladas de 2020, no mesmo dia e mês.

Segundo o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, uma frente fria se desloca pelo oceano nas proximidades do litoral carioca, o que explica o clima instável. Há previsão de pancadas isoladas de chuva para a noite desta sexta-feira, 1º, e o sábado, 2, deverá ser de chuva e temperaturas em baixa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.