Deportados dos EUA terão de depor na Polícia Federal

Assim que desembarcarem no Aeroporto de Confins (MG), os brasileiros deportados dos Estados Unidos prestarão depoimentos a delegados da Polícia Federal. A PF quer saber o motivo da viagem e se eles foram maltratados nas prisões americanas. Os delegados esperam a colaboração daqueles presos com passaportes falsos para ajudar a identificar o intermediário que providenciou o documento. A PF também pretende obter dos deportados informações que levem a agências de turismo ou nomes ligados ao tráfego depessoas. A PF preparou um formulário-padrão para liberar os passageiros o mais rápido possível. A Secretaria de Estado dosDireitos Humanos recebeu da embaixada americana no Brasil informação de que o avião com 276 deportados pousará às 11horas em Confins.Os delegados ouvirão, em primeiro lugar, as mais de 80 pessoas que são de outros Estados e depois os mineiros. Segundoassessoria da superintendência da PF em Minas Gerais, um dos passageiros tem mandato de prisão decretada, mas o crime jáestaria prescrito. A assessoria também informa que desde as 9 horas a PF estará com todo o esquema montado no aeroportopara receber os deportados. Estão convocados 25 delegados e 25 escrivães para tomar os depoimentos e instaladoscomputadores no próprio aeroporto. Os deportados que não são de Minas seguirão viagem por ônibus ou avião, dependendo da distância da cidade em que moram.As passagens estão sendo providenciadas por políticos mineiros e também pela Secretaria de Ação Social.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.