Depredação é 'afronta ao Estado democrático de direito', diz Cabral

Em nota sobre manifestações da madrugada, governador do Rio reitera o 'direito à livre manifestação e à proteção ao patrimônio público e privado'

O Estado de S. Paulo

18 Julho 2013 | 12h25

RIO - O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), classificou de "afronta ao estado democrático de direito" a depredação ocorrida pelas ruas do Leblon e Ipanema, na zona sul, na madrugada desta quinta-feira, 18. "Os atos de vandalismo nos bairros do Leblon e de Ipanema são uma afronta ao Estado democrático de direito. O governo do Estado reitera a sua posição de garantir, através das forças de Segurança Pública, não só o direito à livre manifestação, como também o direito de ir e vir e à proteção ao patrimônio público e privado", afirmou Cabral em nota distribuída à imprensa.

 

O ato de quarta-feira, 17, teve quebra-quebra e terminou em confronto entre policiais militares e manifestantes. Barricadas de fogo foram montadas nas ruas e diversas agências bancárias e estabelecimentos comerciais foram depredados. A polícia usou bombas de gás e balas de borracha para dispersar o protesto.

Mais conteúdo sobre:
protestos Rio Sergio Cabral

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.