Deputada do Psol confirma ser interlocutora de líder grevista no Rio

Janira Rocha diz ser 'uma articuladora da luta de policiais e bombeiros por melhores condições salariais'

09 Fevereiro 2012 | 10h50

A deputada estadual Janira Rocha (Psol) confirmou que é a interlocutora do líder grevista dos bombeiros do Rio, cabo Benevenuto Daciolo, nas conversas telefônicas exibidas ontem à noite pelos telejornais da Rede Globo. A parlamentar assumiu que é "uma articuladora da luta de policiais e bombeiros por melhores condições salariais" e ressaltou que vai apoiar todos os movimentos reivindicatórios de trabalhadores até o fim de seu mandato.

Questionada sobre as ameaças do movimento grevista do Rio de inviabilizar os festejos do Carnaval, Janira argumentou que existe uma radicalização da categoria. Segundo ela, essa postura é provocada pela "intransigência" dos governos estadual e federal, que, de acordo com a deputada, não estariam negociando com os servidores.

A parlamentar lamentou que não haja uma articulação nacional dos movimentos de policiais e bombeiros para pressionar por melhores salários e pela aprovação da proposta de emenda constitucional (PEC) 300, que estabelece um piso nacional para as categorias, de R$ 3.500,00. Janira chegou no meio da manhã desta quinta-feira, 9, à Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e foi direto para o gabinete de seu colega de partido, também deputado estadual, Marcelo Freixo.

Às 11h, está prevista a realização de uma sessão extraordinária na Alerj para votar uma proposta do governador Sergio Cabral de antecipação para fevereiro do reajuste salarial de bombeiros e policiais. O projeto, no entanto, é considerado insatisfatório por associações e movimentos de representação das duas categorias.

Ainda nesta quinta-feira, às 18h, está programada a realização de uma assembleia que reunirá policiais civis e militares, bombeiros e agentes penitenciários, que poderá decidir pela paralisação a partir de amanhã. (Alfredo Junqueira).

Mais conteúdo sobre:
greve, PM, RJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.