Deputado defende na tribuna morte de Beira-Mar

O deputado Wladimir Costa (PMDB-PA) fez nesta segunda-feira sua estréia na tribuna da Câmara com um discursopolêmico, em que pregou a morte do traficante de drogas Fernandinho Beira-Mar. Disse que, ao contrário de muitos Estados, que têm recusado cárcere para o bandido, o Pará tem espaço para ele. ?O Estado do Pará tem vaga, mas para ele morto. Bandido não tem jeito, só se for morto, principalmente os da estirpe de Fernandinho Beira-Mar?.Curioso é que a referência ao traficante deu-se de repente, no momento em que o deputado dizia que está no primeiro mandato e faz parte de um grupo de novos, ?cheios de sonhos, com muita vontade de chegar, vencer a acreditar eproporcionar aos cidadãos brasileiros dias melhores?.Logo em seguida, o parlamentar do Pará atacou o ex-deputado Pinheiro Landim (CE), que renunciou ao mandato ante a iminência da cassação por suposto envolvimento num esquema de compra de liminares para traficantes de drogas. ?Chega de Landins da vida, chega de meliantes nesta Casa?.Segundo o próprio estreante, seu discurso de 25 minutos era mais um desabafo, no qual misturou de tudo, do Pará ?superavitário, rico não só econômica, mas culturalmente?, ao ?descaso? do governo federal, a críticas aos ministros da Segurança Alimentar, José Graziano, e dos Transportes, Anderson Adauto, à atuação da Companhia Vale do Rio Doce e até aos que tentam garantir a construção de uma refinaria no Maranhão e não no Pará. Erguendo uma bandeira do Pará, o deputado garantiu que vai lutar para que a refinaria fique no seu Estado: ?Vai haver retaliação, porque paraense também é de sangue quente, sabe cobrar, sabe brigar, sabe ser flexível, sabe ser educado, sabe ser justo, mas sabe ir para a briga na hora certa?.Veja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.