Deputado do castelo deixa direção de estatal

O Conselho de Administração da Minas Gerais Participações S.A. (MGI) homologou ontem, em reunião extraordinária, a saída do ex-deputado federal Edmar Moreira (PR) do cargo de diretor vice-presidente da empresa estatal, conforme informou a Secretaria de Estado da Fazenda, pasta à qual a MGI é vinculada.

Eduardo Kattah, O Estado de S.Paulo

16 Abril 2011 | 00h00

Moreira, que ficou conhecido em 2009 por construir um castelo na cidade de São João Nepomuceno, no interior do Estado, avaliado em mais de R$ 20 milhões, apresentou no fim da tarde de quinta-feira seu pedido de renúncia do cargo, que havia assumido há apenas onze dias, no último dia 4.

A carta de renúncia foi apresentada dois dias depois de vir á tona sua indicação para a direção da empresa de economia mista, que tem como acionista principal o próprio governo estadual, além da Companhia Energética (Cemig) e o Banco de Desenvolvimento (BDMG) de Minas Gerais.

Mal-estar. O episódio causou desgaste ao governo de Antonio Anastasia (PSDB). O nome de Moreira foi referendado pelo conselho da MGI no dia 28 de março. A administração estadual alegou que atendeu a uma indicação do PR, partido que no Estado integra a base de apoio de Anastasia.

Como diretor vice-presidente da empresa, Moreira tinha direito a um salário de R$ 11 mil. O ex-deputado - que também causou polêmica como parlamentar ao defender o fim do Conselho de Ética da Câmara e foi acusado de usar verba indenizatória para contratar empresas de sua família - disputou a eleição de 2010, mas não conseguiu se reeleger. Teve pouco mais de 45 mil votos para deputado federal pelo Estado de Minas Gerais.

A assessoria da Secretaria da Fazenda alegou desconhecer as razões apresentadas por Moreira em sua carta de renúncia. O Conselho de Administração da MGI é presidido pelo secretário Leonardo Colombini, encarregado de convocar a reunião extraordinária. O ex-deputado não foi localizado ontem pela reportagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.