Deputado gaúcho propõe visita à Argentina

O presidente da Comissão de Agricultura da AssembléiaLegislativa gaúcha, Frederico Antunes (PPB), deverá pedir autorização ao Parlamento estadual para formar uma comissão como objetivo de avaliar a situação da febre aftosa na província argentina de Entre Ríos.De acordo com a assessoria doparlamentar, há previsão, no regimento interno da Assembléia, para formação de uma comissão de representação externacom até cinco integrantes.Esta prerrogativa foi utilizada pelo deputado na elaboração do pedido, que deverá ser submetido àMesa Diretora do Legislativo.A finalidade inicial da comissão seria avaliar a real situação em Entre Ríos, onde foramconfirmados focos da doença, e também conhecer as ações de prevenção adotadas em Paysandu, no Uruguai, localidade quefica a menos de 100 quilômetros dos pontos de manifestação da enfermidade detectados na Argentina.Desta forma, osdeputados poderiam conhecer, na prática, como o Uruguai, que está livre de aftosa sem vacinação, enfrenta o risco decontaminação próximo de sua fronteira.A confirmação de casos de aftosa em Entre Ríos aumentou as preocupações dospecuaristas gaúchos, já que a província argentina está mais próxima da fronteira brasileira em comparação com os locaisanteriormente atingidos.A tramitação do pedido de Antunes poderá ter dois caminhos: aprovação pela Mesa Diretora ouapreciação pelo plenário da Assembléia, informou a assessoria do parlamentar.Enquanto os parlamentares analisam umapossível visita à Argentina, o Ministério da Agricultura começou nesta segunda-feira uma auditoria no Rio Grande do Sul.De acordo com oministério, o procedimento é uma rotina repetida periodicamente em todos os circuitos pecuários para avaliar a execução dasmedidas de defesa sanitária.Depois de passar pelo Estado, os auditores irão para Santa Catarina e Paraná. Antunes estánegociando uma audiência com o ministro da Agricultura, Pratini de Moraes, quando pretende solicitar antecipação do encontrodo Circuito Pecuário Sul, previsto para os dias 7, 8, 9 e 10 de maio.Nos dois primeiros dias, a reunião deverá ser técnica. Nosúltimos, as entidades que formam os setores produtivos envolvidos com a aftosa deverão participar do debate sobre o usopreventivo de vacinas contra a doença.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.