Deputado propõe mandado de segurança contra PF

O deputado Raul Jungmann (PPS-PE), vice-presidente da CPI dos Sanguessugas, afirmou neste domingo, 22, que vai sugerir aos seus colegas, nesta semana, que a comissão entre com mandado de segurança contra a Polícia Federal por obstrução das investigações. Jungmann alega que a CPI até agora não recebeu o relatório parcial do inquérito da PF sobre a trama envolvendo a tentativa de compra, por parte de petistas, do dossiê Vedoin contra tucanos."A pergunta que não quer calar é: A quem interessa que essa CPI não chegue aos mandantes do crime, aos responsáveis?", perguntou o deputado. Jungmann reclamou que o relatório "vazou" para a imprensa na sexta-feira sem que os integrantes da CPI tivessem acesso ao documento. Disse, ainda, que o vazamento omitiu trechos importantes da apuração."Quem vazou isso não vazou as quebras de sigilo bancário, as transcrições telefônicas nem o cruzamento de dados", insistiu o vice-presidente da CPI. "Há um crime aqui e isso caracteriza processo de obstrução da investigação da CPI." Para Jungmann, é preciso esclarecer o escândalo do dossiê antes do segundo turno da eleição, no próximo domingo, "para que não pairem dúvidas". O deputado apóia o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, mas disse confiar no interesse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em resolver o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.