Deputado que matou 2 em acidente tinha carta suspensa

O deputado estadual do Paraná Fernando Ribas Carli Filho (PSB), de 26 anos, que se envolveu na madrugada de quinta-feira passada em um acidente numa das ruas de Curitiba, matando duas pessoas, recebeu 30 multas nos últimos seis anos, das quais 23 por excesso de velocidade. Por não ter recorrido de sete infrações, ele teve a carteira de habilitação suspensa em julho do ano passado. Uma das hipóteses para o acidente é a de que o deputado dirigia em altíssima velocidade - na via por onde trafegava, a velocidade máxima permitida é de 60 km/h. Naquela região, ele já tinha recebido seis multas.No acidente, o Passat dirigido pelo deputado acertou um Honda Fit, que ficou destruído. Morreram no local o motorista do Fit, Gilmar Rafael Souza Yared, de 26 anos, e o passageiro Carlos Murilo de Almeida, de 20. Eles tinham acabado de sair do Park Shopping Barigui. No domingo, o deputado foi transferido para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Ele está consciente e respirando sem ajuda de aparelhos. Ontem, passou da UTI para o Centro Médico de Tratamento Intensivo. Os médicos aguardam a melhora do deputado para submetê-lo a uma cirurgia de reconstituição de ossos da face. INVESTIGAÇÃOOntem, a Delegacia de Delitos de Trânsito de Curitiba encaminhou o inquérito para o Tribunal de Justiça do Paraná, a quem caberá a apuração, já que o deputado tem foro privilegiado. O trabalho ficará a cargo do desembargador Miguel Pessoa. "Todo o conteúdo, até mesmo pedidos de laudos, exames e perícias e os depoimentos colhidos, está sendo encaminhado para o TJ e o promotor Rodrigo Chemim (indicado pelo Ministério Público)", disse o delegado Armando Braga de Moraes Neto, por meio de sua assessoria.Ele afirmou que foram pedidos laudos ao Instituto de Criminalística sobre o local do acidente, exame de necropsia das vítimas e de alcoolemia do deputado. Imagens de radares foram entregues pela Companhia de Urbanização de Curitiba, assim como as que foram feitas pelo sistema de vigilância de um posto de combustível perto da rua do acidente. Elas podem ajudar a determinar a velocidade dos carros. Uma das versões era a de que o velocímetro do carro dirigido pelo deputado teria travado em 190 km/h. Mas o delegado disse ter encontrado o velocímetro zerado. "Há evidências de que o carro do deputado literalmente decolou", contrapôs o advogado da família de Yared, Elias Mattar Assad. A família do deputado, cujo pai é prefeito de Guarapuava, ainda não comentou o acidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.