Deputado quer que Jobim responda por mortes em morro

Vanderlei Macris disse que desculpas do ministro da Defesa foi 'maneira de se safar das responsabilidades'

Denise Madueño, O Estado de S.Paulo

18 de junho de 2008 | 18h04

O deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP) encaminhou nesta quarta-feira, 18, ao procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, pedido para abertura de processo contra o ministro da Defesa, Nelson Jobim, por crime de responsabilidade na morte dos três jovens no Morro da Mineira, no Rio. Na representação, protocolada à tarde, o deputado argumenta que houve ato de omissão do ministro na fiscalização do desvio de função do Exército no Morro da Providência, que resultou na morte dos três moradores da comunidade entregues por uma patrulha militar a traficantes de uma facção criminosa do Morro da Mineira.   Veja também: Justiça aceita ação que pede retirada de tropa da Providência Defesa quer que sargento preste novo depoimento à polícia Câmara quer que Jobim explique morte de jovens no Rio Lula defende reparação para famílias das vítimas Jobim descarta saída imediata do Exército de morro Opine: o Exército pode cuidar da segurança pública?    Macris afirmou que o ministro permitiu o uso político de soldados do Exército "designados para reformar casas e garantir a segurança de trabalhadores em nome de um projeto social apresentado por candidato político", referindo-se ao senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), candidato a prefeito do Rio, colocando em risco a segurança interna do País. "Pedir desculpas é uma maneira de se safar das responsabilidades", disse Macris, referindo-se ao pedido de desculpas de Jobim a familiares dos jovens assassinados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.