Deputados baianos tentam invadir sindicato

Parlamentares do PFL, comandados pelo deputado estadual José Carlos Araújo, com a ajuda de cerca de 70 seguranças, tentaram invadir no inicio da noite, o Sindicato dos Bancários das Bahia, situado na Avenida Sete, centro de Salvador, para dispersar uma reunião do comando de greve dos policiais baianos. Grevistas e sindicalistas reagiram e evitaram a invasão. Houve empurra-empurra, troca de tapas, xingamentos e muita tensão durante os quase vinte minutos que durou o conflito. O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, deputado Nélson Pelegrino (PT-BA) e as deputadas estaduais Moema Gamacho (PT) e Alice Portugal (PCdoB), que estavam dentro do sindicato participando da reunião do comando de greve, foram até o portão do prédio e exigiram que os parlamentares governistas desistissem da ação e respeitassem o direito de reunião garantido pela Constituição. Após nova troca de insultos, os pefelistas resolveram ir embora. Eles haviam participado da passeata organizada pelos correligionários do governo baiano para apoiar as medidas contra os grevistas da PM. "Foi um ato fascista, e inadmissível no Brasil de hoje", reclamou o presidente do Sindicato dos Bancários Álvaro Gomes, indignado com o uso, segundo ele, de "paramilitares" pelos deputados do governo. Gomes informou que o sindicato está à disposição do comando de greve da polícia e confirmou ter cedido o auditório da entidade para uma assembléia da categoria na próxima terça-feira.

Agencia Estado,

10 de janeiro de 2002 | 19h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.