Luis Macedo / Câmara dos Deputados
Luis Macedo / Câmara dos Deputados

Deputados irão ao Rio segunda acompanhar investigação de estupro

Comissão externa terá agenda com Pezão e com a delegada do caso; parlamentares deverão viajar também para o Piauí

Luísa Martins , O Estado de S.Paulo

02 de junho de 2016 | 19h16

BRASÍLIA - Deputados da comissão temporária externa de investigação sobre estupro coletivo irão ao Rio de Janeiro na segunda-feira tratar sobre o caso da jovem de 16 anos violentada no dia 21. A agenda inclui encontros com o governador, Luiz Fernando Pezão, e com a delegada responsável pelas apurações, Cristiana Bento.

Eles também devem se reunir com o secretário de segurança pública do Rio, José Mariano Beltrame, e com deputados estaduais. “Lá já existem comissões acompanhando o caso, então vamos trocar ideias”, disse a presidente da comissão externa, deputada Soraya Santos (PMDB-RJ).

Em sessão realizada nesta quinta-feira, 2, a comissão aprovou também uma viagem ao Piauí, onde uma adolescente de 17 anos também sofreu estupro coletivo no fim de maio. Porém, essa viagem ainda não tem data definida.

A deputada afirma que o fato de viajarem apenas para Rio de Janeiro e Piauí não significa que as ações da comissão ficarão restritas a esses dois Estados. “A ideia é nos inspirarmos nesses casos para sugerir propostas para tantas outras mulheres vítimas de abuso em todo o País. A cultura do estupro não começou agora, é da 'Idade das Pedras', mas a política pública é a melhor forma de avançarmos na questão."

Na próxima terça-feira, a comissão irá avaliar sugestões de parlamentares para aumentar a segurança das mulheres em todo o Brasil. Essas sugestões podem virar projetos de lei. Foram mencionadas na sessão desta terça propostas como implementar delegacias especializadas em atendimento à mulher em todos os municípios com mais de 60 mil habitantes, permitir que ônibus parem fora do ponto ao anoitecer e intensificar a iluminação nas cidades. 

As sugestões aprovadas serão anexadas a outros projetos assemelhados, já em tramitação na Câmara, em uma ata que será entregue na própria terça ao Colégio de Líderes. Segundo Soraya, devem ser incorporados à ata projetos relacionados, também, a crimes cibernéticos, já que as imagens do estupro foram disseminadas nas redes sociais.

A comissão externa tem o poder de fazer projetos “pularem etapas” nas comissões temáticas e irem direto para votação em plenário, caso o presidente da Câmara concorde. A deputada informou que os trabalhos da comissão estão sendo conduzidos com acompanhamento do Executivo, por meio da nova secretária de Políticas para Mulheres, Fátima Pelaes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.