Desabrigados são vítimas do poder público, diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou há pouco, ao discursar no Ginásio Pato Preto, nesta capital, para famílias atingidas pelas enchentes, que o poder público nunca tratou com a decência necessária a população que sempre enfrenta o problema das chuvas. Ele não anunciou a liberação de novos recursos, mas afirmou que o governo fará o que estiver a seu alcance para amenizar o sofrimento das vítimas. O presidente informou que 117 mil famílias em todo o País foram atingidas por enchentes em 15 Estados. "Eu resolvi fazer esta visita para dizer que vocês, como tantos outros milhões de brasileiros, são vítimas do descaso que o poder público tem em relação ao País", afirmou. Na avaliação do presidente, boa parte das famílias atingidas moram em áreas de risco e nunca tiveram assistência necessária dos órgãos públicos. "Isso acontece em São Paulo, Belo Horizonte, Rio, Recife, Salvador, São Luís, Timon, em qualquer lugar deste País, porque o poder público nunta tratou a população com a decência necessária", afirmou. Depois de visitar a Vila Mocambinho, uma área alagada na capital piauiense, o presidente disse que a situação dos moradores do local é a mesma da de outros lugares, pois eles vivem em áreas de risco. "Na verdade, vocês estão morando dentro de uma piscina", afirmou. "Qualquer ser humano que visitar o local perceberá que pode haver problemas de alagamento". Lula fez um longo relato de histórias de enchentes em São Paulo, onde morou, para argumentaar que conhece o assunto e que a questão não lhe é estranha. Daqui a pouco, o presidente se desloca com sua comitiva para o aeroporto da capital piauiense, onde dará entrevista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.