Desafeto de Lula, Perillo sai fortalecido da eleição

Apesar da oposição ferrenha do presidente, tucano conquistou, além do governo de Goiás, maioria na Assembleia

Carol Pires / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

03 de novembro de 2010 | 00h00

Apontado como um dos desafetos políticos que o presidente Lula queria derrotar nas urnas, o senador Marconi Perillo (PSDB) foi eleito para um terceiro mandato como governador de Goiás, depois de enfrentar a força política dos principais prefeitos da região e do governador Alcides Rodrigues (PP), seu ex-vice com quem é rompido desde 2006.

Com o recall da eleição para senador, quando recebeu 75,82% dos votos válidos, Perillo largou como favorito na disputa contra o ex-governador Iris Rezende (PMDB). "Mas foi quando o Lula entrou na campanha que ficamos realmente preocupados", admite a senadora reeleita Lúcia Vânia (PSDB).

Em 2002, Perillo tornou público que havia avisado Lula da existência do mensalão. Desde estão, está na lista de inimizades do presidente, a mesma que incluía Tasso Jereissati (PSDB-CE), Arthur Virgílio (PSDB-AM) e Mão Santa (PMDB-PI) - derrotados na eleição para o Senado.

Em comícios por Goiânia e Valparaíso, Lula acusou Perillo de não ter "caráter", e de "sumir" com R$ 1 bilhão da Companhia Energética de Goiás (Celg).

Na TV, Perillo exibiu imagens do lançamento do Bolsa-Família, em 2003, quando Lula lhe agradeceu pela ideia de unificar programas de transferência de renda. Também adaptou para Goiás a repetida frase do senador eleito Aécio Neves (PSDB) de que "quem decide o futuro de Minas são os mineiros".

Com 47 anos, cinco eleições vitoriosas e três processos no Supremo Tribunal Federal - com acusações de corrupção passiva, prevaricação, tráfico de influência, corrupção ativa e abuso de autoridade -, Perillo garantiu, além do governo, maioria de deputados estaduais, federais e tem o apoio dos três senadores do Estado. Agora, integra a lista, encabeçada por Aécio, dos poucos tucanos que conseguiram sair da eleição maiores do que entraram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.