Desarmamento: projeto pode ficar sem referendo popular

O presidente da Câmara dos Deputados, João Paulo Cunha (PT-SP), disse, hoje, que o Estatuto do Desarmamento será votado na próxima semana, após a apreciação de duas medidas provisórias que estão trancando a pauta de votação do plenário. João Paulo já admite a possibilidade de retirar do estatuto a parte que prevê um referendo popular. Segundo ele, essa decisão pode ser necessária para facilitar a aprovação da lei. "É lógico que é importante consultar o povo, mas, se necessário para a aprovar a lei, retiraremos para não correr o risco de rejeitá-la", disse João Paulo. As informações são da Agência Brasil.

Agencia Estado,

16 de outubro de 2003 | 14h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.