'Desbatismo' contra chegada do papa tem influência até de Harry Potter

Grupo pretende realizar ato 'para romper laços com a Igreja' em pelo menos cinco cidades brasileiras nesta segunda

Luciano Bottini Filho, O Estado de S. Paulo

22 Julho 2013 | 12h58

SÃO PAULO - Mesmo após o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) rejeitar o pedido de liminar para impedir que ateus e agnósticos sejam presos durante a visita do papa Francisco ao Rio, um grupo pretende realizar nesta segunda-feira, 22, um ato em pelo menos cinco cidades do Brasil. O evento está marcado para as 17h, em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Ribeirão Preto.

 

Visualizar Desbatismo contra a chegada do papa em um mapa maior

Em São Paulo, o "desbatismo" - ritual para romper os laços com a Igreja Católica - deverá ocorrer na região da Praça da Sé. O ato simbólico tem três opções de dizeres cerimoniais a serem lidos ao descrente. Um deles faz claramente alusão ao feitiço "expecto patronum" do personagem Harry Potter e ao filme de terror Bruxa de Blair. Outra opção é um texto em latim, que termina com "amém", no idioma. Os organizadores vão emitir certificados de "desbatismo" após o rito de renúncia da fé cristã. 

"Esse protesto é contra o uso de dinheiro público na vinda do papa e na Jornada da Juventude", disse o presidente Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea), Deniel Sottomaior."Estamos ainda no aguardo de uma decisão que nos beneficie". O TJ-RJ negou no sábado, 20, um habeas corpus da Atea, que pediu um salvo-conduto para todos que não acreditam em Deus na Jornada Mundial da Juventude.

Segundo associação, a decisão do TJ-RJ já foi recorrida dentro do próprio tribunal. Em nota, a Atea diz que "não é correto utilizar R$ 850 mil de dinheiro público para a recepção do papa". A associação também considera incorreto "usar aviões da FAB para trazer os veículos papais ao Brasil e transportar os ícones religiosos católicos".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.