Descargas de raio matam 2 no Estado

Em Marília, 18 pessoas ficam ilhadas em dois veículos

, O Estadao de S.Paulo

27 Fevereiro 2009 | 00h00

As chuvas dos últimos dias deixaram duas vítimas fatais na região de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. Dois homens morreram após ser atingidos por raios. Em outras áreas do Estado, as chuvas também deixaram rastro de destruição. Em Marília, 18 pessoas ficaram isoladas em um ônibus e um veículo, no meio da água, por causa do transbordamento de um rio. Na região da Serra da Mantiqueira, a SP-50 registrou 400 deslizamentos de terra e tem parte das pistas interditadas.Em São José da Bela Vista, região de Ribeirão, o corpo do lavrador Carlos Gabriel da Silva, de 48 anos, foi sepultado no início da tarde de ontem. Ele morreu na tarde de terça-feira, em decorrência de parada cardiorrespiratória, após ser atingido por um raio enquanto trabalhava em um canavial em São Simão. Cerca de 50 pessoas estavam no corte de cana no momento da descarga. Não chovia, mas o tempo fechou e o raio atingiu o podão de Silva, que recebeu a descarga nas pernas. Silva chegou com vida ao Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, mas não resistiu. Esse foi o segundo caso de morte na região de pessoas atingidas por raios em quatro dias. Na tarde de domingo, em Patrocínio Paulista, Anderson Wilson da Silva, de 30 anos, foi atingido por um raio enquanto jogava futebol em uma fazenda. A caminho do hospital, ele também morreu de parada cardiorrespiratória. ENCHENTESEm Marília, 15 passageiros e o motorista de um ônibus da empresa Aramas Tur, que viajavam do noroeste do Paraná para Ibitinga (SP) para comprar bordados, e dois ocupantes de uma caminhonete ficaram ilhados, com a água pelo peito, na madrugada de ontem, quando os veículos caíram dentro do Rio Tibiriçá, no km 311 da Rodovia SP-333. A ponte existente no local foi destruída pela enchente provocada pelas fortes chuvas. Os veículos caíram no leito do rio e ali ficaram presos por volta das 2 horas. Os próprios passageiros chamaram a polícia, por celular. Os bombeiros partiram para o local às 2h20 e terminaram o resgate às 5 horas, utilizando bote e cordas. Alguns dos passageiros sofreram hipotermia e outros entraram em crise nervosa e foram levados para o Hospital das Clínicas de Marília. Ninguém ficou internado. Os passageiros do ônibus eram comerciantes de roupas de Sarandi, Maringá, Jandaia do Sul e Mandaguari, no Paraná, que voltaram para suas cidades no início da tarde em outro ônibus da empresa de turismo. O veículo foi retirado do rio por volta do meio-dia. Por causa da interdição, motoristas têm agora de dar uma volta de 25 quilômetros, utilizando a rodovia federal BR-153, localizada em paralelo à estadual. DESLIZAMENTOSÔnibus e caminhões estão impedidos de passar pela SP-50, rodovia que liga São José dos Campos ao município de Monteiro Lobato e ao sul de Minas Gerais. As chuvas das últimas duas semanas danificaram a estrada, onde agora só é permitida a passagem de carros. Em alguns trechos há apenas meia pista. De acordo com o Departamento de Estradas e Rodagem (DER), foram registradas até agora 400 quedas de barreira.Nos bairros próximos da estrada a situação também é complicada. As famílias sofrem com as enchentes - cinco em duas semanas. Na madrugada de ontem, 54 casas foram atingidas pelo Rio Buquira, que subiu 1,2 metro e transbordou. Os moradores se refugiaram em casas de parentes. Quem não tem para onde ir está numa capela. "Perdi tudo três vezes", diz, chorando, o tapeceiro José Ribeiro, abrigado com a família na igreja. De acordo com a Defesa Civil, se continuar chovendo na Serra da Mantiqueira, o bairro sofrerá com outras enchentes. BRÁS HENRIQUE, SIMONE MENOCCHI, SOLANGE SPIGLIATTI e JAIR ACEITUNO, ESPECIAL PARA O ESTADONÚMEROS400 deslizamentosde terra foram registrados na SP-50, entre São José do Campos e Monteiro Lobato54 casasforam atingidas pelo transbordamento do RioBuquira, próximo da SP-501,2 metrofoi a altura que água atingiu em casas na região da Serra da Mantiqueira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.