Descaso da Telefônica

A Telefônica não respeita mesmo o consumidor, começando pelo atendimento que não segue as novas normas do telemarketing. Os operadores não transferem a ligação para um supervisor, com a alegação de que o supervisor só supervisiona e não atende. Estou há mais de dois meses sem conseguir acessar o Speedy regularmente. Quando reclamo, em 20 ou 30 minutos o Speedy volta a funcionar por duas ou três horas, depois retorna o martírio. Os operadores se recusam a passar um e-mail para a reclamação e dizem para eu tentar no atendimento online. No atendimento online, informam que este problema não é tratado por eles e que preciso ligar no 10315 e falar com o suporte técnico. Liguei no mês passado e solicitei o cancelamento do Speedy. A operadora disse que só poderia cancelar se o técnico desse um laudo confirmando o problema. O funcionário que veio a minha casa disse que, se ele emitir o laudo, perde o emprego. Outra opção para cancelar seria pagar a multa, mesmo que o motivo seja problema técnico. Não aguento mais o péssimo atendimento e descaso da Telefônica. ANA LUCIA FERREIRA São Paulo A Assessoria de Imprensa da Telefônica informa que a empresa fez os ajustes técnicos e está providenciando o ressarcimento em conta futura da sra. Ana Lúcia, referente ao período em que o serviço apresentou instabilidade. A leitora diz: O técnico apareceu em casa no dia 12/8 e disse que o problema era na fiação externa, consertando-a. Desde então a conexão não caiu, mas minha insatisfação em relação à Telefônica continua a mesma. O desconto é correto? Fui comprar um ingresso para assistir ao Grupo Corpo, no Teatro Alfa. Ao chegar na bilheteria, deparei-me com um cartaz informando que havia um desconto de 50% para a "Força de Trabalho da Petrobrás e Portadores de Cartão Petrobrás". Por que eles podem ter desconto de 50% e eu não? O patrocínio ao Grupo Corpo não é feito pela lei federal de incentivo à cultura? Isso não seria um desvio do uso da Lei Rouanet? Fiz essa pergunta à Petrobrás e ao Grupo Corpo e não obtive resposta. CARLOS GOMES São Paulo Calote em precatório Fui uma das "contempladas" com a redução do recebimento do precatório de 2008, conforme reportagem MP processa Kassab por calote em precatório, caderno Metrópole, 12/8. Fui prejudicada porque a Prefeitura não enviou à Receita Federal os comprovantes do Imposto de Renda retido na fonte do exercício de 2008, declarado em 2009. Com isso a restituição que deveria ocorrer em 15 de junho ainda não foi feita e está na malha fina. Tenho 67 anos e a administração do prefeito Kassab, assim, descumpre o Estatuto do Idoso. MARIA IEDA DOS SANTOS São Paulo Desrespeito Este governo quer por todos os meios dificultar as coisas para o aposentado. Para receber uma "merreca" de aposentadoria, minha mulher é obrigada a se deslocar todos os meses até uma agência da Caixa em outro bairro, distante de casa, porque a importância não pode ser depositada na conta conjunta que possui comigo. Não é o máximo de desserviço e falta de respeito? JAMES F. SUNDERLAND COOK São Paulo Falta de água constante Estou indignado com o serviço prestado pela Sabesp. Na rua onde eu moro, Judith Salles D?Avila, Osasco, chega a faltar água por quatro dias numa semana. Há dias em que o fornecimento de água é interrompido por volta das 10 horas e só volta às 16 horas. Temos água por mais duas horas e, de novo, cortam-na, só retornando de madrugada. Ela vem amarelada, suja e cheia de cloro. O problema ocorre há anos, mas a empresa não diminui o valor da conta! SÉRGIO LUIZ MOLENA Osasco O superintendente da Unidade de Negócio Oeste da Sabesp, Milton de Oliveira, informou que, em visita técnica realizada em 7 agosto, os profissionais da Sabesp mediram a pressão de água tanto no imóvel do cliente como em outros pontos da rua e constataram que o abastecimento estava normalizado. Mas como a situação descrita pelo cliente pode ser decorrente de um problema não diagnosticado na visita feita ao local, os técnicos da empresa instalariam, até o final da semana passada, equipamento para medir a pressão da água, em tempo integral, na entrada do imóvel do cliente. O laudo fornecido pelo equipamento, previsto para estar concluído até o dia 19 de agosto, irá nortear eventuais medidas corretivas a serem adotadas no local. As cartas devem ser enviadas para spreclama.estado@grupoestado.com.br, pelo fax 3856-2940 ou para Av. Engenheiro Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900, com nome, endereço, RG e telefone, e podem ser resumidas. Cartas sem esses dados serão desconsideradas. Respostas não publicadas são enviadas diretamente aos leitores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.