Descoberta central telefônica clandestina em Sorocaba

Policiais da Departamento de Investigações Criminais (Deic) da Polícia Civil de São Paulo descobriram hoje uma central telefônica clandestina usada para comunicação entre presos, na Vila Carvalho, próxima do centro de Sorocaba. Os equipamentos, incluindo aparelhos telefônicos, difusores, gravadores e antenas, estavam instalados em uma residência onde moram seis pessoas, entre elas um adolescente de 12 anos e um bebê. Foram apreendidas contas telefônicas cujos valores mensais chegavam a R$ 4 mil. Também foram encontradas agendas com códigos e números de telefones celulares. Um sistema de transferência das ligações improvisado estabelecia a ponte para que os grupos criminosos se comunicassem dentro dos presídios. Um preso telefonava para uma pessoa da casa, que estabelecia a comunicação com o celular de outro preso. Segundo a polícia, a central operava cerca de 50 ligações por dia. Parte das conversas foi gravada pelos policiais, para futura investigação. A dona da casa, cujo nome não foi divulgado, tem um filho preso e operava a central clandestina em troca do fornecimento de cigarros para ele.

Agencia Estado,

20 de março de 2002 | 20h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.