Descoberta do Incor será aplicada em parceria

O Instituto do Coração do Hospital das Clínicas de São Paulo e a Fundação Zerbini assinam nesta sexta-feira contrato de participação acionária na iCell Therapeutics Corporation, empresa americana de tecnologia de ponta na área médica. O contrato implica o desenvolvimento da tecnologia de LDE, uma partícula criada artificialmente por pesquisadores do Incor que serve de veículo no tratamento de câncer e, futuramente, deve ser usada na terapia genética. Ela não tem tantos efeitos colaterais quanto os tratamentos convencionais. Com perspectiva de capitalização de US$ 50 milhões nos próximos quatro anos, o presidente da empresa, Kito Tosetti, destaca que será possível a produção industrial da LDE e sua aplicação terapêutica, com testes clínicos de maior abrangência e aplicabilidade. "Esperamos ter nesse tempo resultados significativos com relação à aplicação do produto, então será o momento também de abrirmos o capital da iCell, com venda de ações na Nasdaq," destaca. A participação na sociedade, obtida com a concessão da patente do produto à iCell, permitirá que o Incor e a Fundação Zerbini tenham representação na diretoria da empresa e que a iCell monte seu Centro de Desenvolvimento Tecnológico no próprio Instituto, em São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.