Descoberta mais uma central telefônica em presídio

A polícia confirmou nesta quarta-feira que presos de pelo menos três penitenciárias do Estado de São Paulo mantinham contato por meio de uma central telefônica descoberta na terça-feira em Campinas, no bairro Jardim Oliveiras. No local, foram apreendidos seis celulares, um telefone fixo e várias agendas. Quatro pessoas foram detidas.Números de telefone obtidos pelos policiais do Setor de Crimes Contra o Patrimônio (SCCP) da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) indicam que havia comunicação entre presos das penitenciárias de Tremembé, Casa Branca e a unidade 3 de Hortolândia.A polícia chegou à central por meio de denúncia anônima e obteve mandado de busca e apreensão para entrar na casa, de propriedade de Silmara da Silva Oliveira, de 32 anos, uma das detidas. A linha telefônica instalada na residência foi comprada com uma identidade roubada. Acusada de estelionato, Silmara foi liberada para responder o processo em liberdade. A polícia investiga se há ligação da central com pelo menos duas descobertas pela polícia em Campinas este ano e não descarta que haja outras em operação. A polícia investiga como o sistema funcionava.Em uma fuga recente de cinco homens do Complexo Penitenciário de Hortolândia, no último dia 26, a polícia apontou que a ação pode ter sido previamente combinada por celular, uma vez que os ocupantes de um automóvel deram cobertura aos fugitivos atirando contra os guardas de muralha no exato momento da fuga.Em visita à cidade nesta quarta-feira, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou que o sistema de bloqueio de celular será estendido a todos os presídios do Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.