Descoberta sonegação gigante de impostos de imóveis em SP

A Polícia de São Paulo descobriu um grande esquema de sonegação que pode chegar a US$ 600 milhões e envolver mais de cinco mil imóveis num bairro nobre da zona Leste da cidade. Várias empresas vendem esses imóveis e registram o negócio por um preço abaixo do verdadeiro. Para os investigadores, são fortes os indícios de lavagem de dinheiro. Para se ter uma idéia, o inquérito sobre o caso já coleciona três volumes, com documentos revelando pelo menos 28 ocorrências de imóveis registrados em cartórios por preços bem abaixo dos de venda. Segundo o Bom Dia SP, da TV Globo, um terreno onde hoje funciona um supermercado no bairro do Tatuapé é um dos citados. Em 1995, o atual proprietário comprou o bem por R$ 4.377.500,00, conforme indica o compromisso de venda. Entretanto, no cartório, o imóvel foi registrado por R$ 2 milhões.Para a polícia, o inquérito revela que incorporadoras e construtoras da zona Leste da capital estão envolvidas num esquema gigante de sonegação de impostos. O centro da fraude seria o Jardim Anália Franco, região nobre e que cresceu bastante nos últimos 10 anos.O delegado Aldo Galeano declarou que esse esquema envolve autoridades e políticos de todos os escalões, prefeitura, Estado, cartórios e órgãos públicos que deveriam fiscalizar o patrimônio histórico. Para ele, trata-se de uma enorme rede de corrupção jamais vista no País. Ontem, foram apreendidas em 14 construtoras da região dezenas de caixas de documentos que serão investigados. No escritório de uma delas, foram encontrados 7,5 quilos de esmeraldas avaliadas em R$ 1 milhão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.